quarta-feira, 29 de junho de 2016

Fundação Casa das Artes recebe Mostra de Dança da Essenci




Com o objetivo de ressaltar o amor pela arte, incentivar o aperfeiçoamento técnico e artístico de seus alunos e da comunidade de Bento Gonçalves e região, a Essenci Dança e Movimento preparou, para comemorar seu aniversário de 5 anos, um final de semana dançante com 11 horas de workshops, Mostra de Dança e Baile. 

Os workshops acontecerão nos dias 9 e 10 de julho, sábado e domingo, na Fundação Casa das Artes, e serão ministrados por profissionais de grande reconhecimento no universo da Dança de Salão e da Dança Oriental. Os professores e bailarinos Gabriel Ferreira e Lidiani Emmerich (SC) estarão conosco ministrando 7 horas de curso e estudo de comunicação (condução/resposta) na Dança de Salão e Elis Pinheiro (SP) trará seu estudo e aprofundamento técnico na dança do ventre em um curso de 4 horas, dividido em dois temas principais. 

A Mostra de Dança 5 anos Essenci acontece no sábado à noite e será dividida em dois blocos, um deles para apresentar para o público os novos trabalhos culturais realizados pelos alunos e professores da Essenci: Aline Todeschini, Camila Arioli, Rafael Borges e Uelinton Canedo e um bloco especial para os convidados, grupos e professores que foram parceiros da Essenci durante os 5 anos da escola. 

Estarão se apresentando como convidados na Mostra: Michele Trentin e Rakaça Templo de Dança, Katiusca Dickow, Estúdio de Dança Mônica Mahasin, Via Attiva Oito Tempos Dança de Salão, Tribo de Dakini, Espaço de Dança André Ribeiro, Elis Pinheiro, Gabriel Ferreira e Lidiani Emmerich.
A Mostra acontecerá no sábado, dia 09 de Julho, às 20h na Casa das Artes, no Anfiteatro Ivo Antônio Da Rold. Os Ingressos antecipados estão à venda na Essenci e na Porta Azul no valor de R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (estudante/Sênior). Serão comercializados também ingressos no local. 

As Inscrições para os workshops ainda podem ser realizadas na Essenci Dança e Movimento. Maiores informações através do fone 54 99330897 ou na página da Essenci no Facebook.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Lenda e história da origem do cacau se misturam no espetáculo “Chocola’j”



Apresentação circense está marcada para os dias 12 e 13 de julho, na Fundação Casa das Artes


O grupo Circo Girassol irá se apresentar em Bento Gonçalves no dia 12 de julho, às 20h, e dia 13, às 9h30. O espetáculo “Chocola’j” mistura lenda à história e conta a origem do cacau, fruta oriunda da América Latina, e o seu saboroso produto: o chocolate. 

As duas sessões acontecem na Fundação Casa das Artes (Rua Herny Hugo Dreher, 127), com promoção do Arte Sesc – Cultura por toda parte e apoio da Secretaria de Cultura e Fundação Casa das Artes. A entrada é franca e o agendamento de escolas poderá ser feito junto ao Sesc Bento Gonçalves (Av. Cândido Costa, 88), telefone (54) 3452-6103. Mais informações podem ser obtidas na página www.facebook.com/sescbentogoncalves.

“Chocola’j” conta a lenda do deus Asteca Quetzcoalt que, querendo dar aos mortais algo que os enchesse de energia e prazer, foi aos campos luminosos do Reino do Sol e lá colheu as sementes da árvore sagrada e as ofereceu aos homens. Este trabalho alia as técnicas circenses, a narrativa teatral, os ritmos latinos, a alegria e o colorido do picadeiro.

Sobre o Arte Sesc – Cultura por toda parte - Criado pelo Sistema Fecomércio-RS em 2007, o programa reúne todas as atividades culturais desenvolvidas pelo Sesc no Rio Grande do Sul, entre teatro, música, artes plásticas, literatura e cinema. Além de promover uma intensa troca de experiências e ampliar o acesso à produção artística, o Arte Sesc busca ser reconhecido como promotor de ações culturais no Estado, sendo elas não só apresentações artísticas, mas também de caráter formativo e educacional, orientadas por três eixos: transversalidade, diversidade e acessibilidade.

Serviço:
Espetáculo “Chocola’j” – Bento Gonçalves
Data e horários: 12 de julho (20h) e 13 de julho (9h30)
Local: Fundação Casa das Artes (Rua Herny Hugo Dreher, 127)
Entrada franca
* Agendamento de escolas poderá ser feito junto ao Sesc Bento Gonçalves (Av. Cândido Costa, 88), telefone (54) 3452-6103.

A Tribute Show To ABBA - The History irá se apresentar na Fundação Casa das Artes






Um tributo caloroso em homenagem ao grupo que saiu das frias terras suecas para se tornar praticamente uma lenda da música pop. Estamos falando de ABBA e do resgate feito do trabalho do quarteto de maior sucesso dos anos 1970, por um grupo de sorocabanos. Com o show ABBA The History, os músicos Mari Moraes, Patrícia Andrade, Diego Sena e Jheff Saints revivem os sucessos do ABBA: "Nosso tributo tem emoção à flor da pele. Não é um show contido como se costuma ver em outros grupos, até de outros países. Fizemos muitas pesquisas sobre o ABBA e o comportamento deles nos shows ao vivo era bem diferente do que se via nos clipes. Eles enlouqueciam nos palcos." conta Mari

Cada um tem seu papel definido nas apresentações do grupo que surgiu no começo desse ano, em janeiro, e que além de percorrer algumas cidades do Brasil, cumpriu turnê no Chile, em abril, passando por Concepcion, Temuco e Santiago. Mari Moraes é Agnetha Fältskog, Patrícia Andrade é Anni-Frid Lyngstad, Diego Sena é Björn Ulvaeus e Jheff Saints é Benny Andersson. Além do cuidado de reproduzir as músicas tocadas pelo ABBA, eles resgatam o figurino do quarteto que nasceu na cidade de Estocolmo. "O figurino colaborava para toda aquela áurea do ABBA. Num show que fizemos num hotel, as crianças adoraram as roupas esvoaçantes. Foi bem diferente para elas", disse Mari.

A observação da intérprete de Agnetha, ou melhor, a loira do ABBA, prova que o show do grupo é um evento que consegue agradar e reunir diferentes públicos. "Embora no Chile tenhamos notado que o público era formado, em sua maioria, por pessoas com mais de 35 anos, aqui no Brasil o público é bem variado. Tanto o pessoal que viveu a década de 1970 quanto as mais novas gerações curtem bastante." Ela mesma, que nem de perto viu o ABBA nos tempos remotos, já que tem 30 anos, tinha uma certa afinidade pelo grupo. Isso aconteceu quando viu o filme Priscilla, a rainha do deserto, de 1994, com trilha sonora diversificada das décadas passadas e que - claro - tem ABBA no seu repertório.

A banda que acompanha o The History é formada por Davi Fernandes (direção musical e teclado), Glauco de Almeida (baixo), Rogério Jr. (bateria), Chris Coelho (guitarra) e Jéssica Nascimento (backing vocal).

 




Serviço ABBA HISTORY
Data: 13 de agosto de 2016
Local: Anfiteatro Ivo Antônio Da Rold da Fundação Casa das Artes
Horário do Show: 20:30 HORAS
Abertura do local: 20h
Ingresso Inteiro: R$ 80,00
Ingresso idoso, estudante e Clube do Assinante: R$ 40,00
Ingresso Porto Seguro: R$ 40,00
Ingresso promoção antecipado: R$ 50,00

Ponto de venda:
CNA Inglês definitivo
Rua Olavo Bilac, 691- Fone: 34521123

Site: www.blueticket.com.br

Patrocínio: Porto Seguro, CNA, Don Pepe, Gato Preto, Luxo Óptica,Trevisso Monitoramento, Dakota e Ibis Hotel.

Promoção
Clube do assinante

Realização:
Release Produtora                
Informações: (54) 81110571/(54) 3027.7990

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Fundação Casa das Artes terá sessão de cinema italiano da ACIRS






No dia 5 de julho de 2016, às 19h, a Fundação Casa das Artes irá receber a sessão de cinema italiano da ACIRS – Língua e Cultura Italiana. O evento tem o objetivo de promover diferentes formas de linguagens artísticas que possam enriquecer a bagagem cultural do estudante de italiano ou por quem se interessa por essa cultura.

O filme que será exibido é Viaggio sola, comédia produzida em 2013, com direção de Maria Sole Tognazzi. A história é sobre Irene, uma executiva de meia idade que parece ter o emprego dos sonhos: ela visita anonimamente os mais luxuosos hotéis do mundo, para avaliar o padrão de cada estabelecimento visitado. Sua vida, assim, é pautada pelo luxo, sofisticação... e total solidão. Um dia sente que não tem nada e acredita que é o momento de fazer uma viagem por si mesma.




Filme:  Viaggio sola

Gênero: comédia

Direção: Maria Sole Tognazzi

Elenco: Margherita Buy, Stefano Accorsi, Fabrizia Sacchi, Gian Marco Tognazzi.

Duração: 85 min, áudio e legendas em italiano.

Data: 05/07/2016

Horário: 19 h

Local: Sala Pública de Cinema da Fundação Casa das Artes de Bento Gonçalves.

Entrada gratuita

Museu do Imigrante reabre em Bento Gonçalves




Diversas atividades culturais marcaram o evento de entrega das obras de restauro do Museu do Imigrante no sábado, dia 25. Exposições fotográficas, apresentações de corais, shows, sessão de cinema e uma procissão alusiva à chegada dos imigrantes italianos a Bento Gonçalves estiveram entre as atividades. Ainda, brinquedos infláveis e diversos food trucks integraram a programação.

A cerimônia oficial de entrega homenageou as pessoas que, ao longo dos anos, trabalharam para o andamento do projeto de restauro do prédio, fechado desde 2010. O presidente da Fundação Casa das Artes, Jovino Nolasco, chamou ao palco diversos nomes envolvidos. “Não podemos deixar de agradecer aqueles não mediram seus esforços para manter viva a nossa história”.

O prefeito Guilherme Pasin destacou a importância do momento. “Hoje, um jovem me disse que uma cidade sem museu é como uma casa sem espelho. Ou seja, nela seu povo não se reconhece. Quem não tem orgulho de seus feitos não quer se enxergar”, comparou.

Pasin acrescentou que “reabrindo o Museu do Imigrante, completamente restaurado, estamos resgatando o nosso orgulho, antes ferido pelo descaso de alguns”, complementou. Eu espero que quando a minha filha tiver a minha idade, ela possa visitar esse espaço e entender como viviam nossos antepassados, nossos costumes, nossos valores, e que revivam isso com muito orgulho. Eu espero isso também para seus filhos, seus netos, bisnetos e para todos que por aqui passarem. Esse é o meu desejo”.

Após a cerimônia, ocorreu o descerramento da placa que marca a entrega da obra a comunidade. Em seguida, autoridades e a imprensa realizaram visita na parte interna do Museu.

O Museu do Imigrante está aberto para visitação de terça à sexta, das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h. Aos sábados, das 9h às 17h. A entrada é gratuita e os grupos são de até 20 pessoas.


Histórico do prédio
1913: Data de construção do prédio que abriga o Museu do Imigrante. Nesse ano, foi implantada a Estação de Sericicultura, iniciativa do governo do Estado.
1917: a estação passou a chamar-se Escola Agrícola e Zootécnica, com todo os processos passando a ser executados no local. Nos anos 1920, o governo decidiu fechar a estação e repassou o patrimônio para a prefeitura.
1929: a Sociedade Amigos Planalto propôs ao poder público o arrendamento do imóvel, com o objetivo da instalação do anexo do Hotel Veraneio Planalto. O prédio foi reformado, e o trabalho da estação, transferido para um galpão em frente.
1937: a prefeitura vendeu o prédio para a Sociedade Planalto.
1948: o Estado assumiu novamente a estação. Em 1952, a edificação foi doada novamente para a prefeitura, que vendeu o espaço para o Hotel Planalto.
1953: um incêndio na casa de máquinas do hotel destruiu o prédio, restando parte do mobiliário e das louças.
1960: a Sociedade Planalto decidiu vender o prédio anexo ao hotel para a prefeitura.
1960 e 1970: o prédio funcionou como escritório, armazém, hospederias e residência.
18 de dezembro de 1974: foi decretado que o imóvel serviria para preservar a memória coletiva e o patrimônio cultural da cidade. O museu foi aberto ao público no ano seguinte, em 21 de maio.
Até 1987: o museu ficou vinculado à Secretaria Municipal de Educação. Desde aquele ano, a entidade passou a ser mantida pela Fundação Casa das Artes. Naquela época, o museu foi restaurado. O nome mudou para Museu Histórico Casa do Imigrante.
1987: começou o processo de tombamento do prédio. A regularização ocorreu em 2005, quando ele passou a denominar-se Museu do Imigrante.
2002: O Museu foi cadastrado no Sistema Estadual de Museus
2003: O Museu foi cadastrado no no Instituo Latino-Americano de Museus.
Setembro de 2006: foi apresentado o projeto de restauração do prédio, cuja inscrição no MinC ocorreu em 2007.
Dezembro de 2008: a captação de R$ 1.091.153,24 é aprovada pelo MinC.
2009: parte do prédio foi interditada.
2010: o telhado do museu foi trocado, com recursos da Fundação Casa das Artes.
2011 e 2012: não houve valores captados.
2013: foram conquistados quase R$ 500 mil.
2014: As obras ganham força, após concluída adequação de planilhas orçamentárias.
Setembro de 2015: começa o restauro propriamente dito, com prazo de 365 dias para a conclusão da obra.

Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura
Fotos: Cristiane Moro e José Martin Estefanon