terça-feira, 29 de novembro de 2016

Reencontro de músicos após 30 anos inspirou projeto de show e gravação de DVD ao vivo


Os dias 6 e 7 de dezembro serão marcados por um reencontro histórico no palco da Fundação Casa das Artes em Bento Gonçalves.  Depois de três décadas, os músicos da banda EDZUL, estarão no palco reeditando o show realizado originalmente em dezembro de 1986, tocando 15 temas autorais, que vão de baladas, rock, blues e progressivos.

A banda EDZUL, que pode ser considerada uma das precursoras do rock e blues autorais de Bento Gonçalves, teve o seu projeto aprovado pelo Conselho Municipal de Cultura em edital lançado no começo deste ano pelo Fundo de Cultura Municipal.  Formado por André Seben (violão e voz) Mauro Munari (guitarra) Ney Massolini (baixo) e Osmar Bottega (bateria) - o EDZUL marcou época com suas produções independentes, estilo próprio e muita disposição para inovar nas apresentações ao vivo. Dos shows antológicos que marcaram a história da banda, estão os da Abertura da Primavera em setembro de 1984, In Memorian, em 85 e o Bis de 86, que será reeditado agora com o nome de Dream – Um sonho nunca morre.

Para Osmar Bottega, responsável pelo projeto EDZUL Dream 35 Anos, além do mérito cultural, “este reencontro deve servir de estímulo aos músicos e grupos autorais em desenvolver novos projetos na área da música em Bento Gonçalves.  Há de se ter mais protagonismo dos músicos da cidade e de projetos que valorizem a criação, a produção autoral e a formação de público para espetáculos.”


O show EDZUL Dream – 35 Anos será realizado nos dias 6 e 7 de dezembro, com início às 20h. Os ingressos, limitados, tem o valor de R$ 15,00 e podem ser encontrados com os músicos ou nos seguintes locais: Mississippi Records ( Assis Brasil em frente a DPC) ; Locadora Fantastic ( 1º piso shopping Bento) e Loja KATMAI ( Av Planalto).

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

As múltiplas expressões artísticas de Luiza Fedrizzi

A artista plástica abre mostra a partir do dia 1º de dezembro na Fundação Casa das Artes



A comunidade de Bento Gonçalves está convidada para prestigiar, a partir do dia 1º de dezembro, a mostra “Variações”, da artista plástica Luiza Fedrizzi. A exposição reúne em torno de 25 obras nas técnicas de acrílico sobre tela e aquarela.

Para Luiza, “A pintura em geral desperta a criatividade em mim todos os dias. Ela preenche um espaço muito grande em minha vida”. Desde muito jovem, a artista plástica gostava de desenhar os mais diversos desenhos como pessoas, flores e paisagens. A partir de 1993, começou a focar integralmente ao ofício das artes.

Luiza participou de 23 exposições individuais e 47 mostras coletivas e têm obras em acervos particulares na Argentina, Alemanha, Itália, França, Irlanda, Emirados Árabes, Canadá, Espanha, EUA, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre e em toda região da Serra Gaúcha.


Serviço
O que: “Variações”, mostra artística de Luiza Fedrizzi
Período de visitação: de 1º de dezembro de 2016 a 31 de janeiro de 2017
Onde: Hall de Entrada da Fundação Casa das Artes – Rua Herny Hugo Dreher, 127, bairro Planalto
Entrada gratuita

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Fundação Casa das Artes sedia 1º Encontro de Acessibilidade


A acessibilidade está na pauta do cotidiano. Ela é um atributo essencial que promove a melhoria de qualidade vida de pessoas com deficiência para que as mesmas possam desfrutar e participar da vida social de forma plena e independente. Para isso, é preciso estimular debates para que a sociedade se sensibilize com o tema e possa gerar resultados positivos para o desenvolvimento inclusivo.

É nesse sentido que o “1º Encontro de Acessibilidade: Segurança, Autonomia e Conforto” traz uma programação que possibilite um diálogo com a comunidade de Bento Gonçalves com filme, palestra sobre Legislação Brasileira, dinâmicas de sensibilização e relato de experiências.

Assim, o evento irá contar com especialistas da área como Márcia Beatriz dos Santos Bamberg, do Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo e de Adair José Bamberg, do Movimento Gaúcho de Pessoas com Deficiências. As atividades são gratuitas com entrega de certificados. O evento conta com o apoio do Hotel Vinocap.

Programação
Sexta-feira – 02 de Dezembro
18h30min – Abertura
19h – Exibição do longa-metragem “Ausência”, de Chico Teixeira (com recurso de audiodescrição)
Sábado – 03 de Dezembro
08h30min – Boas vindas
09h – Legislação Brasileira sobre Acessibilidade
09h30 – Dinâmica de Sensibilização 
10h30min – Intervalo
10h45min – Relato de Experiências

12h – Avaliação e Encerramento

Marcos Gomes abre mostra na Fundação Casa das Artes


Imprevisibilidade, abstração, figuração, espontaneidade, cores fortes e alegres são as características da produção artística de Marcos Gomes. Utilizando a técnica artística dripping (gotejamento), onde o artista respinga a tinta sobre suas imensas telas e deixa os pingos escorrerem formando traços harmoniosos e que parece entrelaçar-se na superfície da tela, Gomes cria um processo próprio passeando entre a imagem abstrata e desenhos elaborados e definidos.

 “A cena que não se vê...”, título da mostra, traz essa proposta que é a de provocar com o uso das cores e formas a percepção e a imaginação do público. “Isso gera perguntas e respostas como ‘Você viu uma borboleta?’, outras pessoas dizem: ‘Eu vi uma moto’, ‘É um beija-flor’, ‘São apenas rabiscos’. Essa interação estabelece uma canal de comunicação estético que cria um elo lúdico e, ao mesmo tempo, aproxima a pessoa do universo artístico”, enfatiza o artista.

Marcos Gomes nasceu na cidade de Ijuí/RS no ano de 1979 e iniciou seus estudos nas técnicas de pintura a óleo. Em 2006, mudou-se para a Bahia e sob a tutela de Sido de Alemeida aperfeiçoou a sua técnica. Em 2009, retornando para o Rio Grande do Sul iniciou a busca por novos estilos sob a instrução do artista lajeadense Silvio Farias utilizando as técnicas de pintura em óleo sobre tela a pincel, espatulado e aplicação de materiais diversos, bem como em paralelo iniciou o estudo da história da arte, dos grandes mestres e técnicas de pintura em dripping, estilo pelo qual se apaixonou e se tornou o foco principal de sua obra.


Serviço:
O que: “A cena que não se vê...”, mostra artística de Marcos Gomes
Vernissage: 1º de dezembro, às 19h30min, na Fundação Casa das Artes
Período de visitação: de 2 de dezembro de 2016 a 06 de janeiro de 2017
Local: Galeria de Arte da Fundação Casa das Artes – Rua Herny Hugo Dreher, 127, bairro Planalto
Entrada gratuita

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Exposição Raízes da Imigração Italiana homenageia os 140 anos do Vale dos Vinhedos


Há 141 anos, os primeiros imigrantes italianos chegaram ao Rio Grande do Sul, motivados pela esperança de novas condições de vida contrárias ao desgaste econômico e social de seu país de origem.

Um ano após o início do processo emigratório, os italianos esperançosos por novas condições de vida chegaram ao Vale dos Vinhedos. O primeiro ponto de parada destes imigrantes foi a Linha Leopoldina. Dalí, foram encaminhados para seus lotes de terra, povoando o Vale dos Vinhedos, que se desenvolveu a custa do trabalho, suor, perseverança e empreendedorismo dos italianos e seus descendentes.

No ano em que o Vale dos Vinhedos completa 140 anos, o Circolo Trentino di Bento Gonçalves apresenta a exposição Raízes da Imigração Italiana com o objetivo de relembrar aqueles que deram origem ao sucesso do Vale dos Vinhedos, fotos, livros, bandeiras e objetos antigos compõem o cenário que resgata as memórias de nosso povo, permitindo que os moradores locais e também visitantes que circulam pelo município, tenham contato com artigos mantidos intactos durante décadas.

A exposição permanecerá no Museu do Imigrante até o dia 10 de janeiro de 2017 e pode ser visitada de terça a sábado no horário de 12:00 as 18:00. Entrada gratuita.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

13ª edição do Al Nur será realizado dia 27 de novembro na Fundação Casa das Artes


A partir da 13ª edição do Al Nur (palavra árabe que significa A Luz), após três anos de algumas transformações na metodologia de ensino, o AL NUR despede-se do caráter exclusivamente Árabe e torna-se um espetáculo multicultural recebendo danças de outras etnias.

A Cia Michele Pletsch de Danças Árabes iniciou seus trabalhos em 2003 e, atualmente, sentiu a necessidade de expandir os corpos e emoções para a devoção e reconhecimento de outras culturas, mantendo a base das Danças Árabes e Holísticas no coração do espetáculo.

Esse ano o AL NUR recebe a presença de bailarinos convidados que trarão danças belíssimas representando os Folclores das Danças Celtas, Clássica Indiana, Danças Holísticas e as Tradicionais Árabes!

O espetáculo será realizado dia 27 de Novembro às 20hs e os ingressos podem ser adquiridos pela página do evento no Facebook (https://www.facebook.com/13%C2%BA-Al-Nur-291422337715466/?fref=ts ) ou pelo WhatsApp 54 991243280, ao custo R$ 30,00 (crianças menores de 6 anos não pagam).

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

ABRAÇAÍ apresenta “A Música que a gente faz” na Fundação Casa das Artes


O concerto “A Música que a gente faz” evidencia parte do trabalho da “Orquestra de Violões” e do Coro “ABRAÇAÍ Canta”, que são compostos por crianças e adolescentes da Associação Bentogonçalvense de Convivência e Apoio à Infância e Juventude- ABRAÇAÍ.

São acompanhados pelos educadores musicais Andréia Regina Boscaini (coro, expressão corporal e flauta doce), Diego Mariani Perin (violão iniciantes, orquestra e introdução à música), Leandro Perin (violão iniciantes) e Rafael Rigo Vignatti (piano, teclado e escaletas), desenvolvendo o conhecimento, gosto e o interesse pela música.

Desde sua origem (2010), a Orquestra de Violões vem ampliando a diversidade de instrumentos musicais, bem como aperfeiçoando o trabalho desenvolvido, além de estimular a sensibilidade e criatividade, promovendo ainda a inserção sociocultural.

A entidade atende atualmente 250 crianças, adolescentes e jovens de 05 a 17 anos e familiares em situação de vulnerabilidade social oportunizando novas experiências e a proteção social.


O Projeto Orquestra de Violões - 5ª Edição - é uma realização do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, com o Patrocínio Master do Banco Banrisul, Banco Bradesco e M. Dias Branco e apoio das empresas Concresul e Randon. O espetáculo é gratuito e aberto à comunidade.